Avançar para o conteúdo principal

Flash interview com Teresa Gomes

Fotos: Daniel Mergulhão

Natural de Sintra, mas considera-se uma turística, adora percorrer o nosso país por motivos profissionais, e por lazer, encantado os amantes de vinhos com as suas recomendações sobre vinhos e gastronomia.
Desde 1997 ligada ao mundo dos vinhos, procura dar a conhecer o mundo dos vinhos, e a ensinar qualquer apreciador de vinhos a degustar um vinho. 
Podemos encontrar as suas sugestões no seu site: www.teresagomes.com e no Site Chef Continente: https://chef.continente.pt/enologo/blog/user/102275
Na Wine Flat pode usufruir de aulas de iniciação à degustação de vinhos, leccionadas pela Teresa Gomes.
Este ano teve o privilegio de ganhar o prémio de Sommelier do Ano de 2017 em Portugal, atribuído pela revista – Vinho Grandes Escolhas.

O que é para si um bom vinho?
Enquanto Sommelier devo abstrair-me dos factores externos que podem tornar “um vinho bom”. Será aquele que não desilude depois de se mostrar, seja pela leitura antecipada da nota de prova ou pelo que ele me diz na análise da cor e aroma. Equilíbrio entre nariz, boca e final de boca aliado a um preço ajustado.

                                                        Fotos: Daniel Mergulhão
Quando está a beber um vinho que variáveis/características a fazem desfrutar daquele momento?
Se estou a beber quer dizer que não estou em trabalho. Estarei certamente com amigos e família e muito provavelmente à mesa. Quase de certeza serei eu a levar as garrafas e por isso terei de “trabalhar” um pouco. Mas isso pouco importa pois as conversas, os sorrisos, o estarmos juntos e decerto a boa comida fará qualquer vinho saber dez vezes melhor.

Qual a sua paixão/encanto no mundo dos vinhos?
O que me encantou no mundo dos vinhos há vinte anos foram as pessoas. É por isso que gosto de partilhar desde então a minha paixão – o vinho, com todos que tenham curiosidade ou queiram saber mais sobre este mundo.

Deixo um forte agradecimento à Teresa Gomes, pela sua disponibilidade em participar nesta iniciativa.

Comentários

  1. Já acompanho a Teresa Gomes à bastante tempo! Gosto bastante das suas exposições ao vinhos! Parabéns a Teresa e à iniciativa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! Agradeço as suas palavras. Até breve à volta de um copo de vinho!

      Eliminar
  2. Muito boa entrevista Hugo. Gostei muito mesmo.

    ResponderEliminar
  3. Olá Hugo! Agradeço o convite e as suas palavras na intro. Até breve para mais conversas à volta do vinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Teresa, obrigado pelo comentário e mais uma vez obrigado pela sua colaboração com o meu blog, ate breve.

      Eliminar
  4. Parabéns à Teresa pelo merecido reconhecimento do seu trabalho. :-)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Curiosidades - Pesgar a Talha

A talha é um pote de barro, com uma estrutura porosa pelo que se impõe a necessidade de impermeabilização do seu interior. A sua impermeabilização é uma técnica ancestral, e que ainda hoje resiste, passa por untar o interior da talha com resina de pinheiro, denominada de pez louro, à qual se pode adicionar alguns outros produtos naturais (mel, azeite, ..) conforme a receita do pesgador, profissão hoje praticamente extinta. A pesgagem para além da impermeabilização, permite uma conservação apropriada para o vinho e uma cozedura do vinho, que se podem traduzir num vinho de elevada qualidade. A pesgagem das talhas, ou seja, o revestir o seu interior com pez louro, é sempre uma operação que implica o trabalho de várias pessoas e dura uma grande parte do dia, pelo que, sendo muito rara nos dias que correm, é vista como um acontecimento a merecer celebração. Aproveito para deixar um pequeno video do Esporão, onde é possível visualizar um pouco do processo:

https://www.youtube.com/watch?v=jZS8zW…

Curiosidades – Vinho da Talha

A produção do vinho em Talha, é um processo de vinificação que o Alentejo herdou dos romanos. O vinho de talha ao longo dos seus anos tem se mantido como um produto único, sublime representante da milenar cultura do vinho no Alentejo. Sendo sucinto, o vinho da talha resulta da colocação de uvas previamente esmagadas dentro das talhas de barro e a sua fermentação ocorre espontaneamente. Durante a fermentação, as películas de uvas que sobem à superfície e formam uma capa sólida são mexidas com um rodo de madeira e obrigadas a mergulhar no mosto, para assim transmitir ao vinho mais cor, aromas e sabores. Terminada a fermentação, essas massas assentam no fundo. A tradição exige que o vinho esteja em contacto com as massas ate ao São Martinho, só posterior a esta data as Talhas podem ser abertas, para sua comercialização. Na parede da talha, perto da base, existe um orifício onde se coloca uma torneira. O vinho atravessa o filtro formado pelas massas de uvas e sai puro e límpido para o exter…

Vinho da Talha – Mestre Daniel Branco 2018

Se há vinhos da Talha que marcam pontos pela sua autenticidade e qualidade são os vinhos do Projeto XXVI Talhas da Vila de Alva no concelho de Cuba. Sempre que tenho a oportunidade de degustar um vinho, deste jovem projecto, sinto que cada copo me transporta até às suas origens na bonita Vila de Alva, proporcionando a sensação de estar na sua adega a beber cada copo directamente das suas Talhas. É por isso que gostava de apresentar o vinho branco da Talha Mestre Daniel, do Projecto XXVI Talhas, linha premium do projecto, que surpreende pela sua cor amarelo palha, genuíno dos vinhos da talha, aroma a fruta tropical madura e algumas notas de frutos secos, característico de verdadeiros vinhos da talha, complementado com um sabor seco, redondo, acidez equilibrada e correspondendo ao seu aroma. Há vinhos que não devemos perder a oportunidade de saborear, e o Mestre Daniel Branco 2018 é um deles. O vinho pode ser adquirido por 15 €